Sucesso de público, o espetáculo “Pequenos poderes”, de Diego Molina, encerra temporada na Zona Sul


Crédito: Ananda Campana

ENCERRAMENTO DE TEMPORADA 
Acessibilidade:  dia 15/12 (quinta) haverá sessão com intérpretes de libras

Um texto inteligente sobre o momento atual, no teatro Glaucio Gill, em Copacabana

“Os diálogos de Diego Molina são ágeis, ácidos e têm o mérito de 
providenciar à encenação o claro balanço do jogo de poder”.
Rodrigo Monteiro (blog Crítica Teatral)

Armindo Guimarães
Portal Splish Splash

O bullying sofrido por um aluno de origem nordestina, a tensão entre um assaltante e um gerente numa agência bancária, a confissão recheada de situações “cabeludas” a um padre, a entrevista tendenciosa feita por uma entrevistadora de TV e o depoimento de um réu com opiniões polêmicas durante o próprio julgamento costuram o texto de “Pequenos poderes”, espetáculo de Diego Molina que discute a ruptura de valores da sociedade atual, questionando qual seria o limitador mais eficiente para os nossos impulsos. Religião? Lei? Ética? Ou simplesmente a ausência do poder?

Cenas cotidianas da vida de um cidadão comum marcam a peça, que volta aos palcos agora no Teatro Glaucio Gill para a alegria do público e de críticos como Renato Mello, que elogiou “Pequenos poderes”: “Um espetáculo muito divertido e que, sinceramente, espero que tenha novas temporadas para que possamos dar boas risadas de nossas próprias misérias como seres humanos.” Desejo atendido: depois de duas bem-sucedidas temporadas – na Sede das Companhias, na Lapa, em 2015, e na Casa da Gávea, em 2016 – a comédia de humor ácido, escrita por Diego Molina ,encerra temporada  na Zona Sul, no teatro Glaucio Gill, espaço da Secretaria de Estado de Cultura/FUNARJ, em Copacabana. A temporada vai até 16 de dezembro, sempre às quintas e sextas, às 20h.

O espetáculo chama a atenção para o humor crítico por meio de charges concebidas pelo renomado cartunista Nani e do texto afiado, irônico e atual. Detentor de uma vasta e significativa produção, Nani contribui acentuando cores e dando um tom mais leve aos assuntos abordados no projeto. Recurso muito usado como crítica política durante os anos 1970, época de muita censura, a charge é um diferencial na concepção de “Pequenos poderes” e está diretamente ligada à temporalidade, retratando situações exemplares do dia a dia da sociedade. Mais do que um simples desenho, a charge é uma crítica político-social em que o artista expressa graficamente sua visão sobre determinadas situações cotidianas por meio do humor e da sátira. E as charges de Nani cumpriram a missão, como constatou o crítico Gilberto Bartholo: “Uma deliciosa e atualíssima comédia - para rir e refletir”.

O texto de Diego Molina também foi muito elogiado: “possui o mérito suplementar e surpreendente de inverter sempre os papéis entre dominadores e dominados, fazendo com que tais reviravoltas não se tornem nem um pouco gratuitas”, exaltou o crítico Lionel Fischer.

A peça, que conta com a direção de Breno Sanches, segue uma estrutura dramatúrgica que costura diferentes histórias a partir de um mesmo tema. Esse fio condutor se torna claro pelos personagens que transitam ou fazem referências a outras cenas. Para o crítico Jorge Leão, Sanches “dá uma dinâmica fantástica à encenação”. No elenco elogiado pela crítica Ida Vicenzia – “o que mais nos encanta na encenação (além da ética como tema) é a total entrega com que os atores são conduzidos pelo diretor” –  estão os atores Andy Gercker, Bia Guedes, Mariana Consoli e Zé Auro Travassos. Aurélio de Simoni e Ana Luzia de Simoni são os responsáveis pela iluminação; os figurinos são de Bruno Perlatto; o cenário, de Diego Molina; a trilha sonora, de Armando Babaioff; e a produção, de Diego Molina e da Pagu Produções.

Ótima contribuição para inclusão, o espetáculo contará com a presença de intérpretes de Libras em algumas sessões, garantindo a presença de pessoas com deficiência na plateia.

Espetáculo totalmente independente, “Pequenos poderes” recebeu contribuições por meio de crowdfunding no site www.benfeitoria.com/pequenospoderes, um espaço em que idealizadores e público se unem para viabilizar projetos de interesses em comum. O projeto tem ainda uma página no facebook: facebook/pequenospoderes, com informações, imagens e vídeos sobre o espetáculo.

FICHA TÉCNICA

Texto e Idealização: Diego Molina
Direção: Breno Sanches
Elenco: Andy Gercker, Bia Guedes, Mariana Consoli e Zé Auro Travassos
Desenhos: Nani
Iluminação: Aurélio de Simoni e Ana Luzia M. de Simoni
Figurinos e Direção de arte: Bruno Perlatto
Cenografia: Diego Molina
Trilha sonora: Armando Babaioff
Programação visual e Vídeos: Ananda Campana
Produção executiva: Fernanda Pascoal
Produção: Pagu Produções

SERVIÇO: PEQUENOS PODERES

Local: Teatro Glaucio Gill -  Praça Cardeal Arcoverde, s/nº - Copacabana
Temporada: até 16 de dezembro
Horários: quintas e sextas, às 20h
Ingressos: R$ 30 e R$ 15 (meia)
Funcionamento da bilheteria: de segunda a domingo, das 16h às 20h
Informações: (21) 2332 7904
Duração do espetáculo: 60 minutos
Classificação: 14 anos
Capacidade: 102 lugares
Acessibilidade:  dia  15/12 (quinta) haverá sessão com intérpretes de libras

Compartilhar Google Plus
    Deixe o seu comentário

0 comentários :

Enviar um comentário