Retropecto RC - O show no Alianza Parque em 2015




Por: Carlos Alberto Alves
jornalistaalves@bol.com.br
Facebook
https://www.facebook.com/carlosalberto.alvessilva.9
LOUCURA, LOUCURA, LOUCURA
Carlos Alberto Alves
Na véspera do seu aniversário (74), o rei Roberto Carlos realizou um show no Parque Itália, ou seja, no estádio do Palmeiras, clube que o rei se identifica, aliás, como também acontece com o Clube de Regatas Vasco da Gama do Rio de Janeiro. E quando há um esgrimir entre ambos, é bem possível que Roberto Carlos cogite nesta máxima muito conhecida em Portugal (“made in alentejanos”): “Deus queira que empatem”.
Por tudo o que rodeava este evento, os fãs do rei compareceram em número significativo e outra coisa não era de esperar. Roberto Carlos continua arrastando multidões por onde passa. O seu carisma tem se mantido sempre incólume, apesar de, aqui e acolá, terem aflorado algumas criticas descabeladas e que em nada beliscaram esse glorioso trajeto do maior cantor da América do Sul e um dos maiores à escala mundial. E não será exagero da nossa parte se considerarmos Roberto Carlos o expoente máximo dos cantores românticos. Sou fã incondicional. E como sou com o estatuto de jornalista? Hoje aposentado (mas continuando a escrever), direi que sou um jornalista ao serviço de Sua Majestade o Rei Roberto Carlos. Nesse sentido, os meus atos falam por si.
LOUCURA, LOUCURA, LOUCURA
Em Função do que se passou na arena do Palmeiras, nada melhor do que trazer aqui à estampa a conhecida frase do amigo de Roberto Carlos, o apresentador da GLOBO, Luciano Huck: LOUCURA, LOUCURA, LOUCURA. E de fato assim foi. E de fato, os fãs do rei corresponderam de forma dignificante e vibraram intensamente com o decorrer do show no qual Roberto Carlos apresentou conhecidas canções e que, por norma, fazem parte do seu repertório. Mas há sempre umas que são mais queridas dos fãs, aquelas que trazem a essência de um verdadeiro sentimentalismo, tão peculiar em Roberto Carlos.
O rei, inicialmente, começou por agradecer ao Palmeiras a cedência do seu estádio. E, tal como nós referimos no início, também deixou bem claro o afeto pelo clube da Barra Funda, colocando ao lado o seu amor vascaíno. Isto significa que Roberto em São Paulo é do Palmeiras e no Rio de Janeiro do Clube de Regatas Vasco da Gama.
Muitas caras conhecidas no espetáculo que serviu para assinalar os 74 anos de vida do mais carismático cantor do Brasil. E como dizia um radialista do Paraguai ali presente, junto a nós, Roberto Carlos é o maior de todos os cantores românticos. Nós também subscrevemos essa versão.
Foi bonita a festa, com muitos aplausos, muitos gritos por Roberto, muita gente a dançar, tudo num clima da maior cordialidade. Depois, seguiu-se o encontro de Roberto com fãs
que, como habitualmente, ofereceram lembranças. E foram tantas que não davam para ser transportadas num simples veiculo. Teve bolo, teve homenagens, teve de tudo para que o rei se sentisse orgulhoso por merecer tanto e tanto carinho. Da nossa parte, a velha (que é nossa) frase: VIVE LE ROI!
Show Roberto Carlos Allianz Parque

Jornalista há mais de 50 anos com crónicas e reportagens na comunicação social desportiva e generalista. Atualmente com site próprio (http://jornalistacarlosalbertoalves.blogspot.com) e contribuidor diário no Portal Splish Splash e no site oficial da Confraria Cultural Brasil-Portugal. jornalistaalves@bol.com.br

Compartilhar Google Plus
    Deixe o seu comentário

0 comentários :

Enviar um comentário