Ainda encontramos lojas de CD´s/DVD´s?

 
Fotocomposição Portal Splish Splash


Por: Everaldo Farias
Blog Música do Brasil
Facebook

Sinto que está cada vez mais escassa a possibilidade de encontrarmos uma boa loja que ofereça as mídias CD´s e DVD´s dos principais artistas nacionais e internacionais. Andando pelas ruas do centro do Recife e até nos principais shoppings, percebo que elas simplesmente desapareceram com o passar dos anos. Mudanças no rumo da nossa economia, associada à pirataria e à "prática moderna" de baixar músicas de forma legal, ou não, são as principais causas da escassez de lojas desse ramo.

Lembro que já existiram redes especializadas no assunto (vendiam apenas CD´s e DVD´s) e mesmo quando o vinil (que está novamente na moda) tornou-se obsoleto, em cada cidade do interior e também nas capitais, ao menos encontrávamos uma loja que ofertasse este produto. Dessa forma, era possível encontrarmos álbuns dos nossos principais artistas, lançamentos e também os títulos que compunham sua carreira discográfica. A pirataria (que oferece preços que não dá pra competir), associada a mudanças de ritmos e culturas musicais geram um desinteresse de público, fazendo com que os comerciantes do ramo migrem para outros setores, em busca de sobrevivência. Há também nos grandes magazines a diminuição drástica de espaços dedicados a este produto, pois como muitos já não tocam nas principais rádios, não atraem consumidor e, os que tocam e são mais populares tem seu material disperso em download desenfreado pela internet. Para competir com o download proibido, surge os sites especializado em download permitido. Entretanto, aí não dispomos mais do CD físico que trazia fotos e artes em seu encarte, além de oferecer informações técnicas das letras das canções, seus compositores, músicos que participaram do projeto, tudo isto que justificava ainda mais o porquê da frase "Disco é cultura".

Atualmente, para encontrar algum CD ou DVD (sim, existem aqueles que ainda primam pela mídia física), só em algumas livrarias ou shoppings e mesmo assim, percebo que o espaço dedicado a este produto está cada vez menor. Vivo um dilema pois quando era mais jovem e aspirava ter os discos e depois os CD´s dos artistas que sempre apreciei, não tinha condições financeiras de comprá-los e hoje não tenho condições de encontrá-los, pois tais produtos ou se encontram fora de catálogo ou no máximo, estão encaixotados em boxes e, mesmo assim, não desfruto mais do prazer de entrar em um espaço como este da foto e passar horas garimpando por um ou outro grande título da nossa música. E olha que também desconheço algum museu deste ramo, restando no máximo algumas praças de sebos país afora ou alguma loja relíquia que ainda sobreviva levantando esta bandeira da cultura.

Um forte abraço a todos!

NOTA DA REDAÇÃO:
Esta matéria foi-nos gentilmente enviada pelo autor e encontra-se publicada no blog "Música do Brasil".
Compartilhar Google Plus
    Comentários

1 comentários :

  1. Aqui em Portugal acontece o mesmo. Antes, o termo "discoteca" era partilhado entre as lojas que vendiam discos e os espaços onde se põem discos a tocar com o objectivo de dançar e que no Brasil se designa por "danceteria". Parabéns pela matéria! Abraço.

    ResponderEliminar